O que aprendi com 2016

A vida é uma coisa estranha… Todo ano, o ano vai passando e nós passamos junto enquanto o café esfria. Há quem passe e há quem fique. O ano de 2016 foi literalmente louco. Pudemos acompanhar reviravoltas políticas, desastres dos mais diversos, o crescimento e queda de pessoas próximas, alegria, tristeza, euforia e fim. Ocorreu de tudo. Para alguns 2016 foi um ano qualquer. Para outros, especial. Para mim foi tempo de mudanças.

Há gente que continua fazendo sempre as mesmas coisas, reclamando dos mesmos defeitos e não muda. Bem, eu não sou de reclamar de trivialidades, mas bem que eu poderia ter levado o prêmio da Mega-Sena. Então, se você achou que eu tinha abandonado o site porque havia ficado podre de rico, você está enganado 😂.

Vamos lá, vamos lá… Algumas coisas não se mudam… O café das 15:30 continuou o mesmo. O consultório continuou o mesmo. O endereço continuou o mesmo. O nome também.

Então, o que mudou?

A postura profissional.

No início de 2016, eu havia viajado para Diamantina e tive uma conversa com o meu antigo professor de Prótese Fixa, Dimitri Ribas. Na época, eu ganhava aproximadamente uns R$ 800,00 a R$1500,00 por mês, mas chegou muito (muito mesmo…) menos que isso, durante o ano de 2015, para ser sincero. Durante a conversa, que variou entre livros, expectativa com a profissão e sobre família, eu havia comentado que a minha situação econômica estava muito ruim. Ele não acreditou até que eu fui explicando mais detalhadamente. O Dimitri, atento, sugeriu que eu gravasse a forma que eu atendia os pacientes e, deliberadamente, mudasse o comportamento na direção que me gerassem mais conversão nas consultas. Talvez te pareça a coisa mais absurda que alguém possa fazer, mas como eu estava muito à toa e eu queria resultados diferentes, me candidatei à ideia.

Na volta pra Valadares, fiz um pouco diferente do que ele havia proposto. Eu fui modificando o comportamento geral. Tudo. Absolutamente tudo… Toda relação que envolvia direta ou indiretamente um ser humano que não fosse eu, virou um teste. O que eu queria era melhorar respostas positivas ou mais favoráveis para mim e para a outra pessoa, sendo sempre sincero.

Tudo passa

O tempo tem essa qualidade de passar. Leandro Karnal cita numa de suas palestras que tudo passa. Se você não sabe do que eu digo veja:

Passou.

E sabe o que ocorreu? Aos poucos eu fui conseguindo fechar mais orçamentos e os pacientes ficaram mais satisfeitos com o que era proposto.

Dimitri, se algum dia você ler isso… Cara, saiba que sou muito grato a você! 😃

Self-sacrifice

Meu caro leitor, caso você se torne assíduo aqui no blog, vai notar que eu não funciono muito no plano real das coisas… Eu me baseio muito na ficção. Em 2016 eu tomei coragem de levar um pouco a sério uma das obras que eu mais gostei: The Prestige. É um filme sobre mágica, onde os protagonistas se doam a tal forma que buscam o aperfeiçoamento máximo da peça para ser melhor que o rival. É o auto sacrifício.

Ok, ok… Mas onde eu quero chegar com isso?

Se você quer tanto assim ser bom, se manipule para que o seu redor te traga bons resultados e se doe a ser o melhor que você pode ser. Tente, todo dia e à cada procedimento chegar a resultados que dentistas locais nem sonham em chegar. Acredite nisso e persiga fanaticamente. Você vai melhorar e MUITO naquilo que você se propôs.

Você vai saber o que precisa ser feito para chegar no nível que você quer, mas ninguém precisa saber exatamente do caminho e aqui vai um conselho do filme: “O segredo não impressiona ninguém, o truque que você usa é tudo.”

Não deixe o café esfriar para fazer café novo

https://www.instagram.com/p/BLHl570BX_V

Em 2015 eu havia começado na profissão e ganhava bem pouquinho. Muito pouquinho mesmo 😥 Somado a isso, havia o fato de eu me deslocar para a cidade da minha companheira naquela época, o que fazia sobrar ainda menos dinheiro. O problema é que quando a arrecadação de recurso financeiro é baixa, qualquer despesa é relativamente alta. Logo, sobrava pouquíssimo dinheiro para melhorias do consultório e divulgação. Somado a isso, eu tinha o problema dos pacientes desistirem durante o tratamento, o que me consumia recurso financeiro, tempo e  certamente diminuia a minha credibilidade como cirurgião-dentista. Como o relacionamento havia terminado, eu teria menos preocupações em 2016.

Algumas pessoas esperam o problema aparecer e procurar a solução depois. Outras pessoas se previnem. É algo parecido com a história da Formiga e da Cigarra. Eu já havia tido uma péssima experiência em 2015 e não queria continuar naquela situação de maneira nenhuma. Durante as pesquisas na internet, vi que as desistências ocorriam basicamente por demora na finalização do tratamento e por falta de contato entre o profissional e o paciente. Logo, você precisa ser mais rápido no fim do tratamento e manter contato 😀.

Cuide do paciente que te deu a chance de você poder servi-lo para que você possa fazer isso para toda vida. Lembre-se que ele depositou confiança em você. Retribua. É muito mais fácil você cuidar dos pacientes que você tem (e poder atendê-los por muito tempo) do que tentar conseguir pacientes novos. Vai por mim…

Modernidades? Talvez…

https://www.instagram.com/p/BOfGohkBYRu

Sempre gostei de ver as faculdades americanas e toda aquela tecnologia e decidi começar a colocar um pouco no consultório. Saímos da instrumentação endodôntica manual para automatizada, colocamos um monitor Android com mouse e teclado wireless nos equipos odontológicos, parte da lavagem dos instrumentais é em cuba ultrassônica, usamos localizador apical eletrônico, lupa binocular de Kepler de de 3,5 e outra de 6,5x, DSD entre outras…

A tecnologia te proporciona resultados mais padronizados, sem dúvida. No entanto, o que eu acho mais interessante é que ela te diferencia dos outros clínicos. Parece brincadeira, mas o pessoal acha o máximo ouvir música ou a playlist de vídeos do Youtube enquanto é atendida. Pra mim é super normal, mas se pra eles é bom, melhor ainda!

Não é o mais hi-tech possível, mas vou dando os upgrades rs

Pra finalizar

A melhor coisa de o tempo passar com você tendo essa postura é que você fica melhor como pessoa e profissional. Primeiro que o hábito de você se auto-manipular acaba fazendo com que as ações planejadas se tornem hábitos e você adquire resultados melhores naturalmente e em segundo lugar você fica melhor cirurgião. A atenção aos princípios básicos somam detalhes que fazem a diferença no resultado final do tratamento seja do ponto de vista funcional, biológico ou estético. Olhando para o profissional de 2015, fico feliz em saber do que consegui em 2016.

Fim de trabalho com minha pequena grande fotógrafa @mandylopesgv #odontologia #odontoufvjm #pronto Agora editar rs

A photo posted by Marcos Lopes (@marcoslopesgv) on

Tomara que o teu ano de 2016 não tenha passado vazio e que de 2017 em diante você conquiste e melhore nos vários pontos que você sabe que precisa.

Leve sorrisos pra quem está longe e para quem está perto 😉

Não fique no mesmo lugar.

Um grande abraço e até o próximo artigo!

Marcos Lopes

Comente aqui 😉
Compartilhar
Artigo anteriorO que você sempre quis saber sobre dentes sensíveis
Próximo artigoComo baixar artigos científicos
É cirurgião dentista graduado em 2014 pela UFVJM. Atualmente tem o seu foco em Dentística e vai se especializar em Ortodontia. Adota a filosofia da StyleItaliano para as áreas de Dentística e Endodontia. Aficionado por fotografia, café e uma boa prosa.

Deixe uma resposta